header

Acesso a Editores

Acessos

Hoje476
Ontem594
Esta semana2357
Este mês8642
Total1637569

40 visitantes online

PALAVRAS QUE EDIFICAM

O FILHO DE DEUS VERSUS A RELIGIÃO DO HOMEM

Muitas pessoas consideram o Filho de Deus e a religião como sinônimos. Mas, na realidade, há uma distinção clara entre os dois. Na verdade, não só o Filho de Deus é diferente da religião do homem, mas os dois encontram-se em absoluto contraste. O FILHO DE DEUS O Filho de Deus é a Sua expressão. A Bíblia diz: “Ninguém jamais viu a Deus” (1 Jo 4:12). Assim, sem o Seu Filho, Deus permaneceria um mistério. Porém, através de Sua encarnação, o Filho de Deus trouxe Deus ao homem e O tornou conhecido: “A Palavra [Cristo]0 tornou-se carne e tabernaculou entre nós” (Jo 1:14)* e “a vida se manifestou e nós a temos visto” (1 Jo 1:2). Agora Deus não é mais misterioso. Jesus Cristo, o Filho de Deus, definiu, expressou e declarou Deus plenamente (Jo 1:18). Embora não pudéssemos jamais alcançar Deus, Ele nos alcançou na Pessoa de Seu Filho. O Filho de Deus também cumpriu a redenção. Como pecadores, precisávamos do perdão de Deus. Dessa maneira, Cristo, como o Cordeiro de Deus sem mácula, apresentou-se a Deus na cruz como oferta pelo pecado (1 Pe 1:19; Hb 10:12). Ali, como nosso substituto, Ele satisfez as exigências da lei de Deus e pagou totalmente o débito da nossa conta. Sua morte resolveu, de uma vez por todas, o problema do pecado, de modo que agora podemos nos achegar ousadamente a Deus sem temor (Hb 10:19). Você já recebeu a purificação de seus pecados pela fé? Você pode recebe-la (crendo) em Jesus Cristo, porque Seu sangue nos purifica de todo pecado (1 Jo 1:7). O Filho de Deus também é vida para o homem. Espiritualmente, o homem não só é pecaminoso, necessitando da purificação, mas também está morto, necessitando da vida (Ef 2:1). Portanto, através de Sua morte, o Filho de Deus tornou-se o nosso Redentor e, através da ressurreição, Ele tornou-se o Espírito que dá vida (1 Co 15:45, literal). Por crer Nele e recebê-Lo, um homem é regenerado ou nasce de novo — não com a vida humana, mas com a vida eterna de Deus (Jo 1:12-13; 3:16; 10:10). Na verdade, o próprio Cristo vem para dentro de nós e vive em nós no poder de Sua vida de ressurreição (01 2:20, Fp 3:10). O amor e o gozo de Deus centralizam-se em Seu Filho. Quando Jesus foi batizado por João Batista, Deus Pai falou dos céus, dizendo: “Este é Meu Filho amado, em Quem Me comprazo” (Mt 3:17); e quando Jesus foi transfigurado no monte, o Pai novamente proclamou: “Este é Meu Filho amado, em Quem Me comprazo, a Ele ouvl!”* (Mt 17:5). Em todo universo, a única pessoa agradável a Deus é Seu Filho. Portanto, a fim de agradarmos a Deus, devemos receber Cristo dentro em nós. Isso é o que agrada a Deus — revelar Seu Filho em nós (Gl 1 1:l5a, 16a). Este é o Filho de Deus — a própria expressão e declaração de Deus; nosso Redentor, que nos purifica de todo pecado; e o Espírito que dá vida, que continua¬mente infunde Sua vida e natureza em nós. A RELIGIÃO DO HOMEM Que é, então, a religião do homem? A religião do homem é qualquer adoração, serviço ou atividade feita para Deus separadamente de Cristo. Assim, a religião do homem pode ter um ensinamento “sadio”, uma pregação eloqüente e uma atividade zelosa, porém destituídos da Pessoa viva do Filho de Deus. A religião do homem pode até apreciar a Bíblia e ensinar acerca de Cristo, mas a pessoa de Cristo, presente e viva, pode ser pouco conhecida. Portanto, ela é fraca, impotente e morta. A religião do homem pode ensinar, mas não pode iluminar; pode pregar contra o pecado, mas não pode libertar, pode exortar, mas não pode dar poder pode excitar a emoção, mas não pode dar vida. descrita pelo apóstolo Paulo como tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder (2 Tm 3:5). É como uma vagem que perdeu a semente vital, que dá vida, do seu interior. Com essa visão genuína da religião do homem, podemos perceber que muito do que é chamado cristandade hoje é apenas religião impotente. Não é de se admirar que muitos não a queiram! O que o homem precisa não é de mais religião, mas da Pessoa viva do Filho de Deus. A religião do homem não só é destituída do Filho de Deus, mas até mesmo se levanta para opor-se aos que tentam segui-lo. Isso é visto no caso dos fariseus. Acerca deles, Jesus disse: “Fechais o reino dos céus diante dos homens; pois, vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando”* (Mt 23:13). Desde a época em que Jesus estava na terra até a nossa época presente, a maneira de se conhecer Cristo como uma Pessoa viva, presente, que dá vida, tem sido persistentemente oposta pela religião do homem. É espantoso que o mundo religioso, até mesmo mais do que o mundo secular, tem se oposto à experiência viva de Cristo. UMA ESCOLHA O caminho está agora diante de nós. Podemos conhecer o Cristo vivo, desfrutar o perdão dos pecados e receber a vida eterna. O Filho de Deus veio, morreu e ressuscitou dos mortos. Ele está vivo e esperando para entrar no homem e preenche-lo com a vida divina. Ele é o caminho — ninguém chega ao Pai senão por meio Dele (Jo 14:6). Você deseja recebe-Lo? Deseja tomar esse caminho? Receber o Filho de Deus é simples. Volte-se e confesse a Ele. Abra todo o seu ser a Ele e receba-O. Ele está perto e disponível. Apenas ore: “Senhor Jesus, creio em Ti. Obrigado por ser meu Redentor. Obrigado por ser minha vida. Eu O recebo agora para ser tudo o que preciso”.

APOIO PUBLICITÁRIO

banner boasnovas